Portugal Tecnológico abre com “energia”

A exposição sobre o mundo tecnológico português abriu ontem com destaque para a mobilidade eléctrica e eficiência energética, sem esquecer o papel fundamental da TIC. Até 26 de Setembro estão presentes mais de 300 organizações.

Em  40 mil metros de área de exposição da FIL,  exibem-se mais de 300 organizações portuguesas, na maior mostra nacional de tecnologia. O sector público está em evidência pelo número de representações, e  a mobilidade eléctrica e eficiência energética ganharam destaque: além de empresas específicas do sector, há um espaço, na entrada principal, onde o visitante pode experimentar várias aplicações de tecnologia de mobilidade sustentável, sobretudo veículos movidos a energia eléctrica.
Num discurso de cerimónia de inauguração, o ministro da Economia, Inovação e Desenvolvimento, Vieira da Silva salientou o papel das tecnologias de eficiência e sustentabilidade energética como um dos quatro vectores de desenvolvimento nacional.  Além, do efeito ecológico, o governante destacou o impacto que  o sector poderá ter na redução do déficit comercial de Portugal com o mercado externo, ao reduzir a dependência energética, e assim o peso da compra de energia na balança comercial.
Os outros três vectores são a dimensão tecnológica,  ainda com “incorporação insuficiente nas empresas”; a inovação, que tem de ser melhor “casada com as empresas”; e o conhecimento, ligado à educação e ciência. Na visão de Vieira da Silva, será essencial conjugar as empresas e a inovação para atingir patamares, onde a balança comercial registaria um aumento das exportações de cerca de 30% para 40% do PIB – uma evolução considerada fundamental pelo presidente da AIP, Rocha de Matos, no seu discurso, para tornar a economia portuguesa sustentável.
Consulte o directório de organizações presentes.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado