Empresa paga por indústria cinematográfica lança DoS e ataca sites de partilha ilegal

Ataques por DoS e vandalização de dados são ilegais na maioria dos países.

A AiPlex Software foi paga pela indústria cinematográfica para remover cópias ilegais de filmes da Internet e a empresa assume ter lançado ataques de negação de serviços (DoS) contra sítios Web de partilha (torrent) após estes terem recusado remover esses conteúdos, revelou o diário indiano DNA.
A empresa, fundada em 2003 em Bangalore, afirma no seu site que fornece “serviços de vigilância da Internet (pirataria anti-filmes)” e reclama ser “a única empresa de vigilância da Internet em todo o mundo a fornecer serviços sem precedentes em piratarias na Internet”.
A empresa tem como clientes mais de 30 produtoras e estúdios indianos de Bollywood mas também de Hollywood, como a 20th Century Fox.
O seu software pesquisa a Internet para detectar conteúdos ilegais e, quando os detecta, a AiPlex contacta o proprietário dos servidores onde o site está alojado para os remover. Em caso de recusa, a empresa está preparada para “dar o passo seguinte” com o envio de “milhares de pedidos, que resultam em erros nas bases de dados, causando negação de serviço já que cada servidor tem uma capacidade fixa de largura de banda”, explicou o director-geral da empresa, Girish Kumar. Este responsável assegura que podem “atacar o site e destruir os dados para impedir a circulação do filme”.
Kumar assegura que isto só ocorre em 5% dos casos e em sítios de torrent, normalmente localizados em países como “o Paquistão, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Omã, Canadá, Alemanha e Estados Unidos”, refere a DNA. Outros, como os sites de vídeo YouTube ou Daily Motion, são dos mais respeitadores, afirma.
No entanto, os ataques de DoS como a vandalização de dados são considerados ilegais na maioria dos países. Kumar explicou ao jornal australiano The Sydney Morning Herald que não há qualquer aviso prévio aos ataques por DoS.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado