HP aposta em centros de dados pré-fabricados

Objectivo é a redução de custos e a poupança de tempo na construção dos centros de dados.

A HP apresentou uma nova forma de construir edifícios para alojar centros de processamento de dados (CPD) através de elementos pré-fabricados, cujo objectivo é a redução de custos e a poupança de tempo na construção de “data centers”.
O uso de edifícios pré-fabricados para a construção dos centros de processamento de dados reduz consideravelmente o investimento inicial, especialmente a parte destinada ao design e à construção, ao mesmo tempo que permite reduzir o consumo de energia, de acordo com Peter Gross, vice-presidente e director-geral da divisão Critical Facilities Services da HP.
“A maioria das pessoas não tem consciência de quão dispendiosos e complicados são os data centers. Para construir um, um banco de média dimensão, por exemplo, precisaria de investir entre 40 e 100 milhões de dólares antes sequer de instalar o primeiro servidor”, sustenta.
O objectivo da nova proposta da HP é, desta forma, reduzir os gastos de capital e as despesas operativas, ao mesmo tempo que permite aumentar a flexibilidade.
Os componentes são construídos numa fábrica, onde são testados e depois enviados ao seu destino final, onde são montados como se fossem peças de Lego. Este modelo baseia-se num design borboleta, com quatro quadrantes pré-fabricados com uma capacidade de 800 kilowatts cada. Uma vez construídos e equipados, a capacidade combinada da instalação é de 3,2 megawatts.
O edifício principal tem capacidade para acomodar as áreas de segurança, de envio e recepção de materiais, zonas de rede, um centro de operações de rede, áreas de administração, o espaço para o pessoal e várias salas de reuniões. Os clientes podem escolher entre quatro métodos de refrigeração.
Além disso, o uso de peças pré-fabricadas reduz o tempo que demora a construção de um centro de dados tradicional de betão e cimento.
Normalmente, estes centros de dados são construídos de uma forma muito personalizada, o que implica um trabalho de consultoria prévio bastante dispendioso e transforma o edifício em algo irrepetível, pelo que agora, com este novo modelo, as empresas podem construir um CPD exactamente como necessitam de uma maneira mais rápida e escalável.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado