Pai da Web explica conceito de dados interligados

Tim Berners-Lee recorreu a um pacote de batatas fritas para explicar a facilidade e os benefícios da utilização de dados abertos interligados.

Durante uma apresentação na conferência O’Reilly Gov 2.0, que esta semana se realizou em Washington (Estados Unidos), Berners-Lee segurou em frente da sua audiência um pacote de batatas fritas para explicar aos presentes o conceito de dados abertos interligados, que, na sua opinião, torna a informação disponível na Web mais fácil de processar por outros sites e serviços.
Desde o ano passado que Berners-Lee tem vindo a falar sobre a ideia dos dados abertos interligados, apresentando-a como o próximo passo evolutivo da Web. O conceito não tem, no entanto, e até à data, captado o interesse das pessoas ao contrário do que aconteceu com a Web “original”, possivelmente devido à sua natureza abstracta.
E daí o pacote de batatas fritas. O exterior do saco contém diferentes blocos de informação, cada um deles com um vocabulário distinto e de origem variada, explica Berners-Lee. A parte da frente apresenta o nome da marca e a reivindicação da própria companhia de que as batatas são as mais estaladiças do mercado, enquanto a parte de trás contém informação nutricional, como as calorias e as vitaminas, em termos definidos (neste caso concreto) pela autoridade alimentar dos Estados Unidos. Por último, o pacote contém uma barra de Código de Produto Universal (UPC) na base da embalagem, que não é decifrável pelos consumidores, mas por scanners preparados para o efeito.
Por outras palavras, este simples pacote de informação é, na verdade, uma colecção de dados e atributos desenvolvidos por múltiplas entidades, não apenas o fabricante das batatas.
E, da mesma forma que a autoridade alimentar dos EUA e o código UPC ajudam a transmitir informações acerca deste produto, também os dados abertos interligados podem ser utilizados para ajudar no desenvolvimento de novas aplicações, bem como permitir que o conteúdo propriamente dito seja utilizado de novas maneiras. A vantagem que os dados abertos interligados têm para os criadores de conteúdos é que, com eles, não precisam de passar pelo trabalhoso processo de decidir que termos devem utilizar para descrever os dados, como explica Berners-Lee: “em vez disso, com os dados interligados podemos seleccionar especificamente diferentes blocos de termos a partir de vocabulários que já existem”.
John Sheridan, do britânico National Archives Information Policy and Services Directorate, ajudou também a explicar este conceito, afirmando que “os dados interligados são dados em que podemos clicar, transportando-nos para outros blocos de dados. Ou seja, dão-nos a capacidade de interligar blocos de informações distintas”.
Este responsável deu o exemplo prático de um site denominado Research Funding Explorer, que mostra um mapa com os investimentos do governo do Reino Unido por regiões, bem como a localização de emissão de patentes. O site usa dados interligados para apresentar informações provenientes de cinco fontes governamentais distintas.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado