Smartphones recuperam da crise

A venda de smartphones em todo o mundo teve uma forte recuperação da queda registada durante o período mais grave da crise global, com a Nokia a vender mais unidades e a Motorola a apresentar os maiores ganhos, de acordo com a Canalys.

Os dados da Canalys  indicam que no primeiro trimestre de 2010 a indústria vendeu 55,2 milhões de smartphones, 67 por cento mais que no mesmo período de 2009. Este aumento, que a Canalys aponta como o mais significativo desde o final de 2007, representou uma recuperação significativa face à recessão económica, que provocou fortes quedas neste segmento durante o ano de 2009.
Os números apresentados pela Canalys diferem pouco dos anunciados na passada sexta-feira pela Strategy Analytics. Segundo esta consultora, a venda de smartphones no primeiro trimestre alcançou os 54 milhões de unidades, mas o crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior terá sido um pouco menor que o apontado pela Canalys, na casa dos 50 por cento.
O analista Chris Jones, da Canalys, aponta diversos factores que terão contribuído para as fracas vendas em 2009. Entre eles, além da crise económica, está o adiamento do lançamento de produtos importantes. Na sua opinião, a recuperação observada no início de 2010 deve-se em parte às fortes vendas em países que têm adoptado a tecnologia móvel a um ritmo mis acelerado que o resto do mundo – como é o caso da Índia e da China, por exemplo.
A Nokia continuou a liderar o ranking do segmento, fortemente ajudada pelos mercados indiano e chinês, diz a Canalys. A gigante dos telemóveis vendeu 21,4 milhões de smartphones no primeiro trimestre, 57 por cento mais que no ano passado. O número avançado pela Strategy Analytics foi praticamente o mesmo: 21,5 milhões.
Em termos mundiais, a Nokia detém 39 por cento do mercado dos smartphones, dois pontos percentuais a menos do que há um ano. A sua maior rival é a Research In Motion, com 19 por cento de quota. A Apple cresceu para 16 por cento, contra os 11 por cento do ano anterior. O quarto maior produtor global de smartphones foi a HTC.
Na avaliação da Strategy Analytics, esta ordem não muda. O seu ranking coloca também a Nokia em primeiro, com 40 por cento do mercado, seguida pela RIM (19,7 por cento) e Apple (16,4 por cento).
Para a Canalys, foi da Motorola, no entanto, quem obteve os ganhos mais fortes do trimestre. A companhia produziu, em todo o mundo, 2,6 milhões de smartphones, mais 137 por cento mais que no ano anterior. Segundo a consultora, a quota de mercado da Motorola cresceu dos 3,3 para os 4,7 por cento.
A Palm, recém-adquirida pela HP, tem por seu turno ganho lentamente mercado desde o lançamento da plataforma WebOS, sendo a sua quota global de 1,6 por cento.
Em termos tecnológicos, os modelos com ecrã táctil dominaram o mercado: 59 por cento de todos os dispositivos vendidos contavam com este recurso. No ano passado, esta proporção era de 34 por cento, de acordo com a Canalys. Os telefones inteligentes com teclado, que eram 27 por cento de todos os smartphones vendidos no primeiro trimestre de 2009, representam agora menos de 14 por cento do total.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado