Mercado espanhol de telecomunicações caiu 3,8 por cento no quarto trimestre de 2009

O mercado espanhol de telecomunicações registou durante o quarto trimestre do ano 2009 um volume de negócios total de 10.286,74 milhões de euros, o que representa uma queda de 3,8 por cento face ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o quarto relatório trimestral de 2009 da CMT, a facturação de serviços finais de telecomunicações alcançou o seu ponto mais baixo em Junho de 2009, o que implica que, apesar dos números negativos, o sector acabou por registar uma melhoria na segunda metade do ano.
Os preços da telefonia, medidos como receita média por minuto, caíram durante o período em análise: a receita média de cada minuto de telefonia móvel ficou-se nos 15,64 cêntimos de euro, menos 5,89 por cento que um ano antes, enquanto a receita média em telefonia fixa (que inclui todo o consumo de comunicações fixas) se situou nos 4,15 cêntimos /minuto, menos 9,19 por cento que no período homólogo.
As receitas totais dos serviços retalhistas de telefonia fixa foram de 1.494,18 milhões de euros durante o trimestre em análise, valor 12,83 por cento inferior ao registado durante o mesmo trimestre do ano anterior. As receitas por tráfego somaram 717,33 milhões de euros, menos 16,41 por cento que no período homólogo, sobretudo graças à queda registada nas chamadas internacionais (-24,53 por cento) e no tráfego de telemóveis (-15,74 por cento).
O número de linhas em serviço manteve-se ligeiramente acima dos 20 milhões, registando um pequeno decréscimo de 1,73 pontos percentuais.
As receitas totais dos serviços retalhistas em telefonia móvel foram de 3.629,67 milhões de euros, menos 2,46 por cento que no mesmo período de 2008. Deste número, 3.044,57 milhões referem-se ao segmento pós-pago (contrato de assinatura) que baixou 1,21 por cento. Por seu turno, as receitas de pré-pago (recarregáveis) foram de 555,64 milhões de euros, o que representa uma queda de 8,24 por cento face ao quarto trimestre de 2008.
O tráfego de dados nas redes móveis continuou a tendência ascendente e registou no quarto trimestre de 2009 um novo recorde de receitas no valor de 401,03 milhões de euros (mais 37,54 por cento). O tráfego de dados constitui a segunda principal fonte de receitas dos telemóveis, ficando mesmo acima dos SMS e das próprias assinaturas. No entanto, este forte crescimento não foi suficiente para compensar as quedas na facturação do tráfego de voz (2.510,95 milhões, ou menos 7,19 por cento) e dos SMS (391,21 milhões, menos 13,35 por cento).
No entanto, o parque aumentou em 864.734  novas linhas em contrato e em quase 500 mil novas linhas em pré-pago. O número de datacards (linhas dedicadas de banda larga 3G/UMTS) totalizou os 801.236 durante todo o ano de 2009, mais 69 por cento que no ano anterior. O parque total de linhas de voz aumentou 2,7 por cento durante o ano.
As receitas associadas aos serviços de Internet foram de 972,47 milhões de euros durante o quarto trimestre do ano, registando uma leve subida homóloga de 0,8 por cento. Destaque para o crescimento nas receitas dos serviços de Internet residenciais, que totalizaram os 645,99 milhões de euros, mais 5,33 por cento que no ano anterior. Já o segmento empresarial registou uma queda nas suas receitas de seis por cento, para os 202,27 milhões.
Durante o ano 2009, os acessos dedicados de banda larga fixa alcançaram os 9,67 milhões de euros, com um aumento de 663.503 novas linhas, o que representa um crescimento de 7,4 por cento. De todas estas linhas, mais de 80 por cento situam-se nos intervalos de velocidades entre os 3 e os 20 megas. Se somarmos os acessos dedicados por redes fixas (9,67 milhões em Dezembro de 2009) e os das redes móveis (só os datacards, um total de 1,96 milhões), vemos que os datacards já representam 16,8 por cento de todos os acessos dedicados em Espanha.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado