Fraudes na banca online disparam no Reino Unido

As fraudes cometidas na banca online do Reino Unido registaram um aumento de 14 por cento no ano passado, para os 59,7 milhões de libras (cerca de 65,7 milhões de euros), de acordo com os últimos números da UK Cards Association.

Segundo a associação, estes números representam um aumento de 7.2 milhões de libras (7,9 milhões de euros) nas perdas provocadas por fraudes com a banca online no país face aos números de 2008, altura em que os prejuízos totalizaram os 52,5 milhões de libras (57,8 milhões de euros).
De acordo com o relatório emitido pela UK Cards Association, este crescimento ficou, sobretudo, a dever-se ao aumento na frequência dos ataques a computadores de clientes bancários através da implantação de malware nesses sistemas, método que passou a ser mais popular do que o ataque directo aos sistemas bancários, gradualmente mais difíceis de conseguir.
Segundo a associação, foram também detectados 51161 incidentes de phishing durante 2009, o que significa um crescimento de 16 por cento face a 2008 (43991 ataques de phishing).
A associação também apresenta pela primeira vez estatísticas relativas às perdas causadas por fraudes telefónicas em 2009, tendo concluído que este tipo de esquema resultou em prejuízos contabilizados em 12,1 milhões de libras (13,2 milhões de euros). Na maioria dos casos, os clientes foram convencidos a transmitir os seus dados e credenciais de acesso às contas bancárias, diz o relatório.
Apesar do aumento nos prejuízos com as fraudes bancárias, os prejuízos gerados por esquemas com cartões de crédito e débito britânicos caíram 28 por cento no ano passado, para os 440,3 milhões de libras (484,8 milhões de euros), menos 170 milhões de libras (187 milhões de euros) que em 2008. Esta foi a primeira descida nos números desde 2006, sendo que a associação atribui esta queda a múltiplos factores, entre os quais a introdução de cartões com chips e PINs, graças aos quais as fraudes cometidas com cartões roubados e perdidos atingiram os seus mais baixos níveis das últimas duas décadas.
Além disso, os retalhistas e os bancos estão a usar cada vez mais ferramentas de detecção de fraudes, tais como o MasterCard SecureCode e o Verified by Visa, que tornam os cartões mais seguros sempre que os seus proprietários fazem compras online. Isto fez com que as perdas resultantes das fraudes com cartões tenham caído 19 por cento, dos 328,4 milhões de libras (361,4 milhões de euros) em 2008 para os 266,4 milhões (293,2 milhões) em 2009.
Mas Sarah Blaney, perita em fraudes com cartões na companhia de seguros britânica CPP, afirma que “os nossos próprios números mostram que as fraudes com cartões continuam a ser um grande problema. O nosso índice anual Card Fraud Index mostra que mais de um quarto dos proprietários de cartões já foi vítima de algum tipo de fraude online. E mais de um terço destes não tem sequer ideia que os seus dados acabaram por cair nas mãos de criminosos”.
Contudo, esta perita admite que “o uso de soluções de prevenção de fraudes online que tornam as compras mais seguras, como o Verified by Visa e o MasterCard SecureCode, estão a contribuir muito para reduzir estes números”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado