Cinco propostas para o novo Magalhães

O fornecimento dos novos computadores do programa e.escolinha mereceu a candidatura de empresas ou consórcios: JP Sá Couto, Prológica Solutions, Prológica Sistemas Informáticos e os consórcios Inforlândia/Insys e Bechtle Direct/ACER.

O concurso prevê o fornecimento e garantia técnica, por três anos, de 250.000 computadores portáteis para os alunos do 1.º ciclo do ensino básico. Em jogo está um negócio, no qual o Estado deve investir 50 milhões de euros, com 45 milhões a terem origem no Orçamento do Estado.
Dois dos principais fabricantes de PC – Toshiba e HP – acabaram por desistir do concurso. Ambos não viram viabilidade financeira no negócio.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado