Samsung prepara portáteis empresariais para o segundo trimestre

O director de vendas de portáteis da Samsung, Nuno Cunha, pretende ter já no segundo trimestres seis a sete modelos de portáteis disponíveis para o mercado empresarial. O fabricante apenas espera pela disponibilização internacional da linha.

nuno_cunha_samsung_160_155O objectivo da Samsung no mercado português de portáteis é estar entre os cinco maiores fabricantes. Nuno Cunha assume-o e conta com uma oferta, lançada hoje para o mercado doméstico,  assente em três grupos de produtos: netbooks, notebooks e CULV. Entre estes, o director de vendas prevê que o primeiro grupo será o mais expressivo em unidades e facturação. Além do canal de vendas de TI da Samsung, o responsável conta com o apoio dos operadores de telecomunicações. Tem uma parceria com a Vodafone, e prepara outras com a TMN e a Optimus. O mercado nacional de netbooks valeu perto de 30 mil máquinas em 2009 segundo o executivo. O referido canal representará perto de 10% das vendas de portáteis (sobretudo netbooks) da empresa. O restante nas previsões de Nuno Cunha deverá ser equitativamente repartido entre o canal de grande retalho, gerido directamente, e a distribuidores, centrados no mercado de revendedores e PME.
Na estratégia definida, é prioritário ganhar notoriedade e “fazer com que os potenciais compradores sintam que a Samsung tem produtos capazes de satisfazer exactamente as suas necessidades”. Por isso, Nuno Cunha admite afinar a sua oferta até ao final de 2010, com novos elementos. Além disso, embora os netbooks gozem hoje de maior visibilidade faz parte da estratégia do fabricante dar atenção e promoção aos notebooks, para recuperar as suas vendas.
Apesar de a empresa já ter comercializado portáteis em Portugal, a aposta actual parece mais séria, dada a oferta apresentada. Além do objectivo estabelecido, o responsável considera que a venda de portáteis será uma plataforma importante para impulsionar outros negócios, já existentes, como da impressão, e outros, previstos nos planos de negócios do fabricante.

SSD ainda tem procura fraca

A estratégia tecnológica estabelece uma diferenciação particular entre a oferta doméstica e a empresarial, na qual a segunda assenta em características mais ligadas à segurança (como a encriptação de disco e ou sistemas anti-roubo) e a gestão (como reconfigurações e actualização remota). Além disso, portáteis com tecnologia de armazenamento SSD fazem, para já, mais sentido no mercado empresarial, na visão do responsável.
No mercado doméstico, a tecnologia ainda não suscitou procura consistente.  Por isso, a oferta da Samsung, não inclui discos SSD e assenta em características como ecrãs LED, sistemas de redução de ruído (NRS), memória DDR3, procurando diferenciar-se também, na autonomia dos produtos. Outro dos pontos de diferenciação tem mais a ver com aspectos operacionais: o objectivo da empresa é proporcionar tempos de reparação de cinco dias. Dois serão de reparação e três de transporte, recolha e entrega.
A oferta é composta por três netbooks (N150, N210 e N830)  três notebooks (R530 e R580) e um Consumer Ultra-low Voltage (x420), portátil de baixo consumo energético.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado