Receitas da SAP caem 9 por cento, lucros diminuem 12 por cento

A SAP anunciou uma quebra de 9 por cento nas receitas do último trimestre do ano passado, enquanto que os lucros caíram 12 por cento. Mas a empresa prevê o regresso ao crescimento e melhorias nos resultados operacionais no decorrer deste ano.

CSC_1247As receitas ascenderam a 3,19 mil milhões de euros, o que corresponde a uma quebra de 9 por cento relativamente ao valor reportado em igual período do ano anterior – 3,49 mil milhões de euros. Os resultados líquidos foram de 727 milhões de euros, equivalente a uma diminuição de 12 por cento relativamente aos lucros de 830 milhões de euros no último trimestre de 2008.
“O último trimestre de 2008 foi um trimestre em que a SAP bateu todos os recordes, o melhor da história da empresa. Esta é uma das principais razões subjacentes ao declínio registado no último trimestre do ano passado”, referiu Léo Apotheker, Chief Executive Officer da SAP.
As receitas provenientes da venda de software registaram uma quebra de 15 por cento, totalizando 1,12 mil milhões de euros, enquanto as vendas de software e de serviços relacionados com software cairam 4 por cento para 2,57 mil milhões de euros.
As receitas provenientes dos serviços de suporte, que cresceram 7 por cento, totalizando 1,36 mil milhões de euros, foram um dos pontos fortes dos resultados da SAP. A empresa conquistou muitos clientes quando introduziu o serviço de Enterprise Support, obrigando os clientes a actualizarem, independentemente de necessitarem das funcionalidades adicionais. Contudo, na semana passada, a SAP anunciou que os clientes poderiam permanecer com os serviços Standard Support.
Em 2010, a SAP vai adoptar as normas contabilísticas International Financial Reporting Standards (IFRS), após anos em que seguiu as normas Generally Accepted Accounting Principles norte-americanas na apresentação dos resultados.
Para o ano de 2010, SAP prevê que as receitas de software e de serviços relacionados com software aumentem entre 4 por cento e 8 porcento a preços constantes. A empresa prevê ainda aumentar a sua margem operacional entre 30 por cento e 31 por cento a preços constantes. “Queremos crescer mas queremos crescer com rentabilidade”, referiu o CEO da empresa.
No decorrer deste ano, salientou o responsável da empresa, será o ano em que a aplicação Business ByDesign, a oferta software-as-a-service (SaaS) da SAP, irá descolar, Apotheker said.
Não é segredo que a SAP teve alguns problemas com o lançamento do serviço, referiu Leo Apotheker, “mas a empresa está a trabalhar em conjunto com os 100 clientes iniciais para melhorar a experiência”. Quando conversamos com estes clientes, referem que a implementação é muito mais rápida e a interface com o utilizador é muito melhor”.
“A aplicação Business ByDesign, vai estar em condições de massificação em meados de 2010” afirmou Leo Apotheker, acrescentando que, contudo, “não devem assumir que as vendas serão significativas no decorrer deste ano”.
A SAP irá lançar inicialmente o serviço na Alemanha, em França, no Reino Unido, nos Estados Unidos, na Índia e na China.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado