Vendas de PC “explodem” no quarto trimestre de 2009

Preços baixos e uma procura acrescida por portáteis, laptops e netbooks alimentaram a evolução do mercado, cujo quarto trimestre de actividade mundial resultou na venda de 85,5 milhões de unidades, segundo a IDC.

notebookEm relação ao trimestre homólogo de 2008, o quarto trimestre de 2009 cresceu perto de 15,2%, fundado na procura acrescida por dispositivos portáteis como os laptops e netbooks. O crescimento inesperado sugere o possível final das dificuldades no mercado da indústria dos PC, em período de recessão.
No geral houve uma importante conjugaçõa de factores, segundo David Daoud, director de pesquisas na IDC. Os consumidores, fizeram uma retenção das suas compras durante o resto do ano e a queda dos preços – resultado da estratégia do fabricantes para atrair – acabou por sustentar a procura. Como resultado foram vendidos perto de 126,2 milhões de portáteis em 2009.
Por outro lado, a queda dos preços resultou no recuo das margem dos  fabricantes, mais interessados em manter quotas de mercado à custa dos lucros, diz o analista da IDC. A despesa no sector de maior margem comercial foi fraca.

Crescimento pela primeira vez na EMEA

As vendas de PC na EMEA (Europa, Médio Oriente e África) cresceram pela primeira vez em três trimestres, enquanto o Japão cresceu 4,6%. A HP foi o fabricante que vendeu mais durante o quarto trimestre. Seguiu-se a Acer, Dell, Lenovo e a Toshiba.
Os fornecimentos da Acer foram dominados por mini-notebooks e portáteis de baixo custo. A Dell conseguiu alcançara ganhos pela primeira vez em quatro trimestres.
Os fornecimentos de máquinas PC durante o quarto trimestre cresceram 24%  nos Estados Unidos, até às 20,7 milhões unidades. O lançamento do Windows 7 contribuiu muito para o crescimento, com os fabircantes a oferecerem a PC muito bem equipados a preços muito baixos.
Contudo, a região da Ásia-Pacífico, menos o Japão, manteve-se como o motor de crescimento para o mercado de PC, com as vendas  a crescerem 30% no quarto trimestre. De todos os fabricantes, a Lenovo registou o maior ritmo de crescimento – 41,8% – beneficiando de crescentes fornecimentos na Ásia e América Latina.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado