e.iniciativas com taxa de penetração superior a 40%

O conjunto de e.iniciativas inseridas no programa Ligar Portugal – e.escola, e.professor e e.oportunidades – abrangeram mais de 851 milhares de indivíduos no território nacional, o que corresponde a uma adesão um pouco superior a 40% do universo esti

e-escolaEstas são algumas das conclusões de um estudo encomendado pela Anacom à KPMG para avaliar o sucesso destas iniciativas governamentais. A avaliação realizada pela KPMG procedeu, em primeiro lugar, à análise dos indicadores públicos disponíveis (Fundação para as Comunicações Móveis, Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação e operadores de comunicações) e, em seguida, à realização de um  inquérito à totalidade dos aderentes às diferentes iniciativas.

O programa e.professor foi aquele que registou uma maior taxa de adesão junto dos seus destinatários. Com efeito, e segundo os dados disponibilizados pela Anacom, aderiram a este programa cerca de 90 mil professores, o que corresponde a uma taxa de adesão de 47,7%. Por outro lado, e ainda de acordo com os dados divulgados pela Anacom, enquanto o programa e.escola obteve uma adesão ligeiramente de 470 mil indivíduos, o que equivale a uma taxa de adesão de 43,8%, o programa e.oportunidades obteve uma participação de mais de 292 mil indivíduos, correspondente a uma taxa de 34,6%.
Por outro lado, e ainda de acordo com os dados analisados pela KPMG, este conjunto de iniciativas obteve uma maior adesão nas regiões do interior do que nas regiões do litoral e, em particular, na região da Grande Lisboa. Assim, é de destacar as taxas de adesão ao programa e.escola registadas na região do Tâmega (64,7%), do Pinhal Interior Sul (58,2%), Ave (53,9%) e Douro (53,7%), ou no caso do programa e.professor as taxas nas regiões de Alto Trás-os-Montes (56%), Tâmega (52,4%), Douro (53%) e Beira Interior Norte (50,3%). No que diz respeito à iniciativa e.oportunidades, os dados disponibilizados pela Anacom permitem-nos evidenciar que a taxa de penetração em regiões como Pinhal Interior Sul (40,3%), Cova da Beira (37,6%) e Beira Interior Sul (36,4%) foram bem superiores à taxa de adesão da iniciativa.

Maioria dos aderentes já tinha acesso a computador
A maioria dos aderentes às e.iniciativas integradas no programa Ligar Portugal já possuía acesso a computador pessoal. Esta é uma das conclusões do estudo da KPMG realizado junto dos aderentes às diferentes iniciativas. Com efeito, e ainda segundo os dados disponibilizados pela Anacom, 91,1% dos aderentes à iniciativa e.escola já tinha acesso a computador pessoal no seu agregado familiar, enquanto que este numero ascende a 95,7% dos aderentes à iniciativa e.professor e 93,4% dos aderentes ao programa e.oportunidades.
Situação idêntica pode ser observada na existência de acesso à Internet no agregado familair. Assim, e de acordo com os dados disponibilizados, 82,4% dos aderentes à iniciativa e.escola já tinham acesso a esta nova infra-estrutura de comunicação e de acesso à informação. Este indicador é bastante superior junto dos aderentes à iniciativa e.professor (85,9%) e bastante menor na iniciativa e.oportunidades (62,3%).
O estudo da KPMG evidencia ainda que “o factor custo emerge comoum dos principais aspectos que motiva a adesão, sendo que nas iniciativas e.escola e e.professor, a mobilidade também se revela aliciante para um número expressivo de aderentes”, refere o estudo.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado