Mercado de PC regressa ao crescimento

Revertendo as suas anteriores previsões para o mercado mundial de computadores pessoais em 2009, o Gartner acredita agora que a produção mundial de PC crescerá 2,8 por cento este ano. Portáteis de baixo custo, como os netbooks, estão a contribuir para aumentar as vendas para níveis superiores ao esperado, mas, de acordo com o Gartner, o Windows 7, contudo, não terá qualquer influência no aumento das projecções.

No início deste ano, o Gartner previa que as vendas de PC em 2009 iriam cair, em número de unidades vendidas, cerca de 11,9 por cento em comparação com o ano passado. A concretizar-se, este declínio teria sido quatro vezes superior ao de 2001, depois do fim das chamadas “dot com”.

Este ano, porém, as vendas de computadores portáteis, influenciadas pelo entusiasmo do consumidor face aos baratos netbooks, superaram as previsões trimestre após trimestre, levando o Gartner a realizar uma revisão das suas projecções iniciais.As vendas de portáteis foram especialmente fortes no terceiro trimestre, época de regresso às aulas no hemisfério Norte do globo.

O Gartner prevê agora que a produção de portáteis vai alcançar os 162 milhões de unidades este ano, um aumento de 15,8 por cento em comparação com 2008. A categoria dos mini-portáteis, na sua maioria composta por netbooks, deve corresponder a cerca de 29 milhões de unidades.

Desta forma, os números gerados pelo segmento dos computadores portáteis compensam largamente o declínio de nove por cento esperado no número de desktops vendidos este ano. O Gartner diz esperar que as vendas de PC cheguem, em unidades, aos 136,9 milhões, ou seja, 46 por cento do mercado total de computadores pessoais. Apesar da recuperação na produção de computadores, o Gartner estima que as receitas provenientes das vendas de PCs serão 11 por cento inferior à de 2008, sobretudo por causa da queda nos preços médios de venda.

Este declínio na facturação dá continuidade a uma tendência que começou no fim do ano passado, altura em que as receitas do quarto trimestre de 2008 caíram cerca de 20 pontos percentuais face ao ano anterior.
Sobre a declaração recente da Microsoft de que as vendas do novo Windows 7 têm sido fortes, o Gartner afirma que o sistema operativo não irá influenciar muito qualquer mudança no cenário do mercado de PC este ano. “Não vemos os consumidores a comprar novos PCs apenas por causa do Windows 7”, sustenta o analista George Shiffler, do Gartner, no seu relatório, acrescentando que “esperamos um salto modesto na procura à medida que surjam promoções de novos PC com Windows 7, mas a atracção principal serão as novas máquinas, não o SO”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado