ENISA, a credibilidade como meta

A ENISA vai ter uma estrutura tradicional com “management board” que inclui representantes dos 25 países e três representantes da comissão europeia.

O director-geral é o Fábio Colassanti, como representante da Comissão da Europeia (juntamente com outras duas pessoas).


 


O quadro inclui ainda representantes de entidades interessadas (stakeholders) , que representam a comunidade de investigação, a indústria dos media, entre outros.


 


De acordo com Manuel Barros, o objectivo é criar um centro de excelência. “Não é uma coisa que se crie só em cinco anos. A agência terá de ganhar credibilidade pelos conteúdos e relações que tece”, considera o representante.


 


A da Agência está a ser incubada em Bruxelas, com a administração a funcionar sob os auspícios da comissão. No dia 7 de Outubro de 2003, o Parlamento Europeu aprovou a sua criação. A iniciativa tinha sido proposta pela Comissão Europeia em 10 de Fevereiro de 2003.


 


A ENISA iniciou a sua actividade em 1 de Janeiro de 2004 e deverá vigorar até 31 de Dezembro de 2008. O investimento estimado é de cerca de 33 milhões de euros e a agência deverá ter a sua sede definitiva na Grécia, com um orçamento anual de 24,3 milhões de euros.


 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado