A prevenção e os sistemas de autodefesa

João Cardana, engenheiro de sistemas da Cisco, fez uma abordagem tecnológica da questão da segurança, falando sobre as “redes e suas ameaças”, o “sistema de autodefesa da rede da Cisco”; o “sistema de defesa contra ameaças da Cisco” e um caso prático.

“A Internet é a rede das redes e os atacantes aproveitam a complexidade das redes/serviços para desenvolverem ataques”, referiu.


 


Nestes ambientes tudo pode ser alvo: routers, switches, postos de trabalho, utilizadores remotos, equipamentos de segurança, parceiros, Internet, extranet, etc.


 


Por isso é necessário criar sistemas para verificar constantemente a segurança dos sistemas, explicou.


 


O responsável apresentou um gráfico com a evolução dos vírus desde a década de 80.


 


Se nessa altura um vírus levava semanas a atingir um determinado número de computadores a nível mundial, hoje a muito maior quantidade de vírus criados leva alguns minutos a atingir redes de média dimensão. Num futuro próximo, poderão levar segundos a atingir redes inteiras a nível mundial.


 


João Cardana explicou então como funcionam os sistemas de autodefesa da rede (Cisco Self-Defending Network), que integra a segurança ao nível dos sistemas e tecnologias e o sistema de defesa contra ameaças (Cisco Threat Defense System), que permite a integração da segurança em redes Multiserviço; segurança na conectividade (Confidencialidade); utilizando uma arquitectura CSA, de protecção ao nível do posto de trabalho, Network Admission Control, explicado em detalhe.


 


Em síntese, João Cardana referiu: “A autodefesa e uma segurança pró-activa são a solução para fazer face a ameaças futuras cada vez mais complexas e de rápida difusão”.


 


Em termos de case study, o responsável explicou também como funciona a rede de teletrabalho da Cisco.


 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado