eGov Local exige abordagem global

A obra reúne especialistas em temas sociais, tecnológicas e de planeamento urbano, procurando analisar da digitalização nas Cidades e Regiões

A Universidade Fernando Pessoa lançou um livro coordenado por Luís Borges Gouveia, que agrega o resultado de um dia de discussões, realizadas sobre o tema Cidades e Regiões Digitais.


 


O título escolhido nasce daí: “Cidades e Regiões Digitais – Impacte nas Cidades e nas Pessoas”. Realizada em formato de workshop, a discussão centrou-se nas questões sociais, tecnológicas e de planeamento urbano, abordando-se o potencial impacte das Cidades e Regiões Digitais.


 


Quatro professores de áreas de especialidade diversas organizaram o workshop: Luís Borges Gouveia, Paulo Silva, Ricardo Pinto e Luís Pinto de Faria.


 


O encontro decorreu no dia 6 de Junho de 2003.


 


A ideia de compilar um conjunto de textos sobre os temas em discussão, surgiu no workshop.


 


O resultado são 18 textos que reflectem a contribuição de 26 autores. Demonstram, na opinião de Luís Borges Gouveia, escrita no livro, “um assinalável nível de maturidade, de como estas questões são pensadas em Portugal”.


 


O coordenador do livro é actualmente professor auxiliar na Faculdade de Ciência e Tecnologia na Universidade Fernando Pessoa e responsável pela concepção e estratégia do projecto Gaia Global, a iniciativa de cidade digital de Vila Nova de Gaia.


 


Um dos objectivos do workshop foi a  discussão das Cidades e Regiões Digitais “de uma forma equidistante de interesses comerciais, políticos ou regionais”.


 


Em discussão, esteve o impacto e as questões associadas que podem servir de base a uma reflexão.


 


Com a discussão que o livro documenta  procurou-se também  estruturar boas práticas identificadas em Portugal, mas também a nível internacional.


 


Segundo o autor do livro “o Workshop constituiu-se como um fórum de discussão aberto a todos os que pretenderam contribuir para melhorar o nosso conhecimento do que são e para servem as Cidades e Regiões Digitais.


 


“Por outro lado, o livro tem a pretensão de promover a discussão de temas “cujo impacto se sentirá de um modo significativo na forma como as cidades e regiões se desenvolvem e nos proporcionam uma maior qualidade de vida”.


 


O coordenador da obra procura contextualizar o livro da Sociedade da Informação, e salienta a participação e os actos de cidadania individual.


 


Estes, podem “potenciar maiores mudanças” justificando-se por isso o maior acesso possível à informação. Mas não só. É necessário na óptica do autor a participação dos cidadãos na discussão de como vão viver nos meios urbanos e rurais.


 


“A mobilidade, o impacto social, os serviços, as aplicações, a utilização de diferentes canais além da World Wide Web, as restrições legais do uso da informação, as questões de cidadania e de inclusão, a reorganização de espaços físicos e virtuais e as competências dos indivíduos representam, entre outros, alguns dos desafios e temas que importa discutir e sobre os quais urge reflectir”, escreve Luís Borges Gouveia, doutorado  em Computação com tese sobre Ambientes Virtuais e Partilha do Conhecimento (UK, Lancaster, 2002) e fez o mestrado (FEUP, 1995) em Engenharia Electrotécnica e Computadores, com dissertação sobre Aplicações Multimédia para o Sistema de Informação da empresa.


 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado