Portugal Telecom lidera durante 2002, mas perdeu quota de mercado

Apesar de continuar a liderar de forma destacada, em 2002 o grupo PT viu a concorrência aproximar-se, perdendo quota de mercado, embora ligeira.

A PT Comunicações manteve a liderança do “ranking” das 50 Maiores Empresas de Comunicações. No entanto, perdeu quota de mercado no território nacional.


 


A empresa liderada por Horta e Costa encerrou o exercício fiscal do ano passado com vendas de superiores a 2,2 biliões de euros, o que corresponde a uma quebra superior a 9% relativamente ao ano anterior em que a empresa tinha encerrado o exercício fiscal com vendas superiores a 2,2 biliões de euros.


 


Por outro lado, as posições de topo da listagem deste ano mantiveram-se praticamente inalteráveis.


 


Assim, enquanto que a TMN, que encerrou o exercício fiscal do ano passado com vendas de 1,2 biliões de euros, o que representa um crescimento de 7% relativamente ao ano anterior, manteve a segunda posição, a Vodafone Telecel, com vendas superiores a a biliões de euros, o que equivale a um crescimento de 3% relativamente ao ano anterior, manteve a terceira posição no “ranking” das 50 Maiores Empresas.


 


A Sonae.com manteve a sua posição inalterada na listagem deste ano.


 


Com efeito, esta empresa encerrou o exercício fiscal do ano passado com vendas superiores a 792,6 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento superior a 8% relativamente ao ano anterior.


 


A ascensão da PT Multimedia à quinta posição do “ranking” das 50 Maiores Empresas é uma das principais novidades da listagem deste ano.


 


Com efeito, esta empresa encerrou o exercício fiscal com vendas de 640 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento superior a 7% e lhe permitiu destronar a Optimus.


 


O operador de comunicações móveis do grupo Sonae, que encerrou exercício fiscal com vendas de ligeiramente inferiores a 600 milhões de euros, o que corresponde a uma quebra ligeiramente inferior a 3%, passou a ocupar a sexta posição na listagem deste ano.


 


A Siemens manteve a sua posição inalterada.


 


Com efeito, as vendas de produtos de comunicações e de tecnologias de informação do grupo Siemens ultrapassaram 400 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento de 4% relativamente ao ano anterior e que lhe possibilitou a manutenção da sétima posição.


 


 


Vendas globais caem


 


A TV Cabo Portugal subiu um lugar na listagem das 50 Maiores Empresas.


 


O desempenho da empresa liderada por Graça Bau, que encerrou o exercício fiscal do ano passado com  receitas de 361,8 milhões de euros, o que equivale a um crescimento de 31% relativamente ao ano anterior, permitiu que assegurasse a oitava posição na listagem deste ano.


 


A ONI encerrou o exercício fiscal do ano passado com vendas de 297, 5 milhões de euros, o que equivale a um crescimento de 58% relativamente ao ano anterior e lhe permitiu ascender à nona posição do “ranking” das 50 Maiores Empresas de Comunicações.


 


Por último, a PT Prime manteve a sua posição inalterada.


 


Com efeito, a empresa encerrou o exercício fiscal do ano passado com vendas ligeiramente inferiores a 265 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento de 22% relativamente ao ano anterior.


 


As vendas consolidadas da 50 Maiores Empresas de Comunicações foram ligeiramente superiores a nove biliões de euros, o que corresponde a uma diminuição de 4% relativamente à edição do ano anterior.


 


Enquanto que as vendas conjuntas das empresas de equipamento de comunicações não ultrapassaram 1,4 biliões de euros, o que corresponde a uma quebra superior a 27%, as vendas conjuntas das empresas de serviços de comunicações foram de 7,6 biliões de euros, o que equivale a um crescimento de 2,1% relativamente ao ano anterior.


 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado