Investimentos em TIC estagnaram em 2002

A recessão da economia nacional afectou os investimentos em tecnologias de informação e comunicações. Em consequência, este novo sector da actividade económica perdeu peso na economia nacional.

O abrandamento da actividade económica a nível mundial, com o consequente impacto nas condições económicas no território nacional, teve um impacto profundo na despesa das empresas nacionais com tecnologias de informação e comunicações.


 


Contudo, a despesa com tecnologias de informação foi mais afectada do que os gastos com comunicações.


 


Assim, e no decorrer do ano passado, os investimentos com estas tecnologias ultrapassaram 8.163 milhões de euros, o que corresponde a uma diminuição de 0,1% relativamente aos investimentos realizados no ano anterior e que terão sido ligeiramente superiores a 8.163 milhões de euros.


 


Estas são algumas das conclusões de um estudo publicado pelo European Information Technology Observatory (EITO) – uma “task force” criada pela Comissão Europeia para acompanhar a evolução do mercado europeu de tecnologias de informação e que conta com a colaboração da International Data Corporation (IDC).


 


Enquanto que, em anos anteriores, o investimento em tecnologias de informação tinha sido fortemente impulsionado pela adaptação dos sistemas de informação empresariais à moeda única, à passagem do milénio e à adopção de estratégias baseadas na Web, no ano passado, o ambiente recessivo vivido pela economia nacional foi responsável pela diminuição dos investimentos em tecnologias de informação das organizações empresariais nacionais.


 


Contudo, e apesar deste ambiente, os investimentos em comunicações foram menos penalizados do que a despesa com tecnologias de informação.


 


Deste modo, não será de estranhar que a despesa com tecnologias de informação tenha sido ligeiramente inferior a 2,5 biliões de euros, o que corresponde a uma quebra ligeiramente inferior a 5% relativamente aos investimentos realizados no ano anterior e que terão sido ligeiramente superiores a 2,6 biliões de euros.


 


Por outro lado, e ainda segundo os dados divulgados pelo EITO, a despesa com comunicações foi superior a 5,6 biliões de euros, o que equivale a um crescimento nominal de 2,1% relativamente à despesa realizada no ano anterior, cujos valores tinham ascendido a 5,5 biliões de euros.


 


 


TIC perdem peso no PIB


 


Na sequência do abrandamento da economia nacional, as tecnologias de informação e comunicações perderam peso na economia nacional. Com efeito, no ano passado, o peso deste sector na riqueza nacional baixou para 6,3% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, enquanto que em anos anteriores este valor tinha sido ligeiramente superior a 6,8% da riqueza criada no território nacional.


 


Contudo, e apesar do abrandamento das actividades económicas, os investimentos nestas tecnologias reforçaram o seu peso na estrutura de investimentos das empresas nacionais.


 


Com efeito, e segundo dados compilados pela equipa do Computerworld, no ano passado, os investimentos com estas tecnologias representaram 24,4% da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), enquanto que no ano anterior este valor tinha sido de 23,6%.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado