ParaRede cresceu 62%

O primeiro semestre de 2004 ficou ainda marcado pela redução da dívida e pelo resultado líquido consolidado de 3 milhões de euros

A ParaRede encerrou o primeiro semestre de 2004 um volume de negócios de 16,2 milhões de euros, um resultado que representa um crescimento de 62% face ao mesmo período do ano passado.


 


Utilizando os princípios do POC, a empresa registou um resultado líquido consolidado de 1,3 milhões de euros, contra um valor negativo de -8.572 mil euros registado no período homólogo de 2003.


 


No entanto e de acordo com os princípios IFRS (International Finantial Reporting Standard), o resultado líquido consolidado foi de 3 milhões de euros.


 


A empresa explica que na base do aumento de receitas esteve o desempenho do actual mix de vendas da ParaRede, “uma aposta estratégica da empresa e que assenta na comercialização de Hardware e Software de terceiros, prestação de serviços e promoção e desenvolvimento de produtos e tecnologias próprias, um sector que já representa 14,4% das vendas totais.”


 


Todas as Áreas de Negócio da ParaRede contribuíram positivamente para o desempenho da empresa durante os primeiros seis meses do ano”, com particular destaque para a Área de Information Infrastructure, responsável por 49% das receitas e onde se verificou um crescimento homólogo de 152%.


 


A Área de Products & Systems Integration, onde se inclui o portfolio de produtos próprios da empresa, gerou cerca de 16% das receitas.


 


Na Área de Enterprise Management Solutions verificou-se um crescimento homólogo de 55.3%, enquanto que a Área de IT Consulting, a qual assegura a presença da ParaRede junto de importantes clientes do sector da Banca, cresceu 19,6% relativamente ao primeiro semestre de 2003, representado cerca de 20% das vendas da empresa.


 


Por outro lado, os custos de funcionamento foram reduzidos em 23%, um efeito directo do plano de reestruturação em vigor e que teve como propósito adequar os custos da estrutura da empresa à realidade do mercado.


 


A margem EBITDA da ParaRede passou de -19,3% no primeiro semestre de 2003 para os actuais 7,3%, o que representa um valor absoluto de 1,2 milhões de euros e um crescimento de 161,1% face ao ano transacto.


 


Como resultado do aumento de capital reservado a accionistas que ocorreu durante o semestre em análise, o endividamento líquido da ParaRede passou de 34.703 mil euros para 5.028 mil euros, o que significa que o rácio Net Debt/Equity evoluiu de 265% em Junho de 2003 para 16%.


 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado