Novas ferramentas para realidade virtual e IA da Facebook

O 360 Capture SDK e a Caffe2 AI são dois dos mais importantes conjuntos de tecnologia apresentados para programadores.

realidade-virtual_facebookA Facebook apresentou na sua última conferência, F8, várias novidades para progaramadores e dois conjuntos merecem destaque: o 360 Capture SDK e o Caffe2 AI. Com o primeiro dá aos referidos profissionais da área realidade virtual, a capacidade de incorporar conteúdos em fotografia e vídeo em 360 graus, nas experiências produzidas.

O novo kit de desenvolvimento de software disponibilizado na última quarta-feira, permitirá oferecer a funcionalidade de captar uma cena completa “em torno” dos utilizadores, para partilhar com outras plataformas, como a rede social Facebook. É uma ferramenta projectada para dar às pessoas que não têm dispositivos de realidade virtual uma janela de visibilidade sobre a acção a decorrer, na esfera imaterial.

Aquelas com equipamento adequado poderão rever a acção. Um detalhe importante sobre a ferramenta é que foi concebida para funcionar mesmo com capacidades mínimas de hardware, sem degradação de desempenho, diz a Facebook.

IA para iPhone, Android e Raspberry Pi

A empresa actualizou ainda a matriz open-source Caffe com funcionalidades para oferecer aos smartphones a capacidade de reconhecer objectos em imagens sem precisarem de aceder a cloud computing. Com a Caffe2, os programadores poderão adicionar capacidades de inteligência artificial a iPhones, dispositivos Android e computadores de baixa potência como o Raspberry Pi.

O Caffe2 pode ser usado para programar recursos de reconhecimento de vídeos, texto e fala e tornando os dispositivos mais “conscientes” do ambiente circundante. É importante notar que o Caffe2 não é um programa de IA, mas uma ferramenta para programá-la.

Mas é preciso apenas algumas linhas de código para escrever modelos de aprendizagem, passíveis de serem agrupadas em aplicações. O lançamento é particularmente relevante.

Significa que os utilizadores podem aceder a funcionalidades de reconhecimento de imagem, processamento de linguagem natural e visão por computador directamente nos smartphones. Essas tarefas são normalmente executadas com recurso a servidores em cloud.

Mas a Caffe2 consegue funcionar dentro das limitações dos dispositivos móveis e criar redes neurais, aproveitando o poder de computação das GPU Adreno e Hexagon DSP nos chips móveis da Snapdragon da Qualcomm.

A nova matriz de aprendizagem automática sucede à Caffe, que se destacou no reconhecimento de imagem, mas em centros de dados.

Suporte à escrita directamente do cérebro para o ecrã

A Facebook revelou quarta-feira que está a trabalhar em tecnologia para as pessoas poderem escrever texto directamente dos seus cérebros, para um ecrã, a 100 palavras por minuto. Diz ter uma equipa de mais de 60 cientistas, engenheiros e outros, focados nessa área que a empresa denomina como “comunicações de discurso silencioso”.

Esse tipo de projectos tem antecedentes, por exemplo na Universidade de Stanford, e para a Facebook a possibilidade está longe de ser especulativa. “Nos próximos dois anos, estaremos a desenvolver sistemas capazes de digitar a 100 palavras por minuto, usando descodificação da actividade neural dedicada à fala”, escreveu Dugan Regina Dugan, vice-presidente de engenharia da Facebook, numa mensagem.

Outro projecto associado destina-se a permitir que as pessoas ouçam com a sua pele, para a qual a empresa está a construir o hardware e software.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado