Portugueses são os utilizadores que mais actualizam apps

Cerca de 62,5 % daqueles com smartphone diz fazer actualizações quando o fornecedor recomenda, de acordo com a Kaspersky Lab.

Apps_smartphonePortugal surgiu em primeiro lugar numa classificação de 17 países, elaborada pela Kaspersky Lab, quanto a uma área de cuidados a ter com os smartphones para controlar a “desarrumação digital”, nos dispositivos. Assim, o estudo do fabricante revela que 62,5 % dos portugueses diz actualizar as suas aplicações móveis e sistemas operativos, de acordo com as recomendações do utilizador, diz um comunicado.

Apesar disso, o relatório diz que apenas 54,4% dos utilizadores portugueses revê com regularidade os conteúdos colocados no seu dispositivo e apaga documentos e aplicações já não utilizadas. À escala global, há uma tendência para as pessoas acumularem apps nos telemóveis ainda que muitas vezes não sejam necessárias.

Entre os inquiridos, os utilizadores instalam 12 apps Android cada mês e apenas apagam 10. Em Portugal, esse número cresce para 18 apps instaladas por mês – em telefone, tablet ou computador.

Com mais aplicações instaladas nos dispositivos, o volume de armazenamento é condicionado e a gestão das mesmas é bastante importante no sentido de prevenir a “desarrumação digital”. O inquérito mostrou ainda que apenas 40,1% dos utilizadores portugueses ajustam intencionalmente as definições de cada uma das aplicações para maior controlo das actividades.

Apenas 27,8% dos utilizadores portugueses afirmam recusar instalar aplicações no caso de não estarem satisfeitos com o conteúdo das licenças.

Por outro lado, apenas 27,8% dos utilizadores portugueses afirmam recusar instalar aplicações no caso de não estarem satisfeitos com o conteúdo das licenças.

O estudo é baseado num inquérito online a 16 mil pessoas de Portugal, Espanha, Holanda, República Checa, Hungria, Turquia, Israel, Japão, México, Colômbia, Brasil, EUA, Rússia, EAU, Índia, Indonésia e Vietname.A análise estatística foi realizada pela Kaspersky Security Network (KSN), juntamente comuma experiência em torno da performance das aplicações elaborada pelos analistas internos da Kaspersky Lab. Um dos maiores perigos da desarrumação digital é o facto de as próprias aplicações poderem colocar os dados e o dispositivo do utilizador em risco devido às suas actividades diárias.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado