Decumanus analisa qualidade de vida nas cidades

O objectivo do projecto europeu liderado pela Indra é mitigar os efeitos das alterações climáticas nas cidades.

Lisboa - ESAO projecto europeu Decumanus desenvolveu uma nova ferramenta, assente em tecnologia espacial, que fornece dados sobre eficiência energética, clima urbano, qualidade do ar e da água, impacto na saúde ou uso do solo em zonas urbanas ou variações no volume da população.

A ferramenta combina o uso de tecnologias de Observação da Terra, imagens de satélite, Internet das Coisas (IoT), Big Data e Data Analytics e disponibilizar 90 indicadores urbanos, agrupados em sete grandes unidades, sobre diferentes variáveis, refere informação da consultora.

O projecto Decumanus foi financiado pela União Europeia no âmbito do 7º Programa Marco e contou com a participação de 11 sócios de sete países.

A Indra liderou o trabalho de um consórcio no qual participaram as empresas Eurosense, Geoville e Controlware, do Centro Aeroespacial da Alemanha (DLR) e as universidades Politécnica de Madrid e a University of the West of England em Bristol.

O projecto teve ainda o apoio das autoridades locais de Amberes, Helsinki, Londres, Madrid, e Milão que actuaram como utilizadores finais.

Os utilizadores podem podem saber em que zonas se registam as temperaturas mais elevadas ou têm pior qualidade de ar ou onde se encontram as áreas verdes de uma cidade.

No âmbito do Decumanus, os dados provenientes de satélites e redes de sensores distribuídas pela cidade integram-se com a informação transmitida por outras fontes, como cadastros, estatísticas de organismos oficiais, ou redes sociais, detalha o comunicado.

É o caso de indicadores sobre eficiência energética de edifícios e calcula os custos e poupanças associados à sua reabilitação. Administrações Públicas, empresas e até cidadãos podem saber em que zonas se registam as temperaturas mais altas ou mais baixas ou têm pior qualidade de ar ou onde se encontram as áreas verdes de uma cidade, explica a Indra.

Os serviços analíticos disponibilizados assentam fundamentalmente em imagens de satélite. A título de exemplo, a monitorização das alterações na população pode apontar pistas para a reformulação de infra-estruturas disponíveis na cidade enquanto que a detecção de zonas com pior qualidade do ar pode contribuir para conhecer as causas e estudar soluções, providenciando eventualmente a produção de legislação aplicável.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado

thirteen − ten =