Projecto Aucits “arranca” quarta-feira e passa por Lisboa

A Indra organiza em Madrid a primeira reunião do consórcio para sistemas inteligentes de auto-condução, no qual participam ANSR), a Universidade de Coimbra (UC), o Instituto Pedro Nunes (IPN).

20161117-indra-proyecto-vehiculo-autonomoO projecto Autocit tem na quarta-feira (23 de Novembro) o seu início oficial com a primeira reunião do consórcio de suporte, na sede da Indra, em Madrid, onde será realizada uma apresentação a diferentes grupos de interesse.

A empresa lidera a iniciativa para testar a condução autónoma de veículos nas estradas da Europa, mais concretamente nas áreas metropolitanas de Lisboa, Madrid e Paris, as três maiores cidades do denominado “Corredor Atlântico”, formado por vias consideradas prioritárias para o desenvolvimento da infra-estrutura de transportes europeia.

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Universidade de Coimbra (UC), o Instituto Pedro Nunes (IPN), a Dirección General de Tráfico (DGT), a Universidade Politécnica de Madrid (UPM), e a Inventeurs du Monde Numérique (INRIA) completam o consórcio. Este beneficia de um orçamento de 2,6 milhões de euros e é financiado pelo programa europeu Conecting Europe Facility.

“O AUTOCITS tem como objectivo facilitar a circulação dos veículos autónomos em núcleos urbanos através do desenvolvimento de sistemas inteligentes de transporte baseados em Connected and automated driving (C-ITS), que permite a comunicação e o intercâmbio seguro de dados entre veículos, utilizadores e infra-estruturas, utilizando o standard de comunicações europeu ITS-G5”, explica um comunicado.

O mesmo esclarece que o projecto contempla a conjugação de conectividade móvel e a automatização, “centrando-se especialmente na segurança rodoviária e nas alterações necessárias na infra-estrutura e nos centros de controlo de tráfego”.

Os testes previstos para Lisboa, Madrid e Paris ao longo de 2017 e 2018 envolvem “conciliar a função de gestão do tráfego que se leva a cabo a partir destes centros com a presença dos veículos sem condutor”.

Um dos o objectivos é avançar no âmbito regulamentar e nas regras de trânsito para melhorar a interoperacionalidade dos carros autónomos, garantir a sua correcta circulação em todo o tipos de estradas nos diferentes países europeus e a sua convivência segura com os restantes veículos.

As experiências deverão ser realizadas nas Avenidas Marginal e Brasília, duas vias que ligam a cidade de Lisboa com a autoestrada A-36 (IC17-CRIL) e outras infraestruturas de transporte, como barco e comboio. “Será enviada informação desde o centro de controlo aos veículos com advertências e informação de localizações perigosas, utilizando a comunicação V2X entre o veículo e qualquer objecto ou dispositivo ligado, neste caso um segundo veículo ‘instrumentalizado’” diz o comunicado.

A análise de resultados visará a elaboração de recomendações. Um dos o objectivos é avançar no âmbito regulamentar e nas regras de trânsito para melhorar a interoperacionalidade dos carros autónomos, garantir a sua correcta circulação em todo o tipos de estradas nos diferentes países europeus e a sua convivência segura com os restantes veículos. Segundo a Indra não existe uma norma de escala europeia, havendo iniciativas em cada país com grau de maturidade diferente. Espanha e França lideram.

Está previsto que o Autocits colabore com outras iniciativas de investigação e desenvolvimento europeus.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado