Cidadania – A transformação digital tornou-se assunto pessoal!

O espírito tantas vezes se revela em situações de crise ou alarme social, pode passar mais facilmente a intrínseco ao nosso estilo de vida, à nossa existência comum e social, considera o CTO da InnoWave, Pedro Pinto.

pedro-pinto_innowave_dest

Pedro Pinto, CTO da InnoWave

A era digital veio para ficar, as empresas tornam-se digitais, tudo se pode comprar online, os pagamentos são electrónicos, cada equipamento, objecto, matéria, está a caminho de ter uma pegada digital ou já a teve nos últimos tempos.

É, por isso, natural, que também o ser humano se transforme e se recrie, baseado numa identidade digital, um email, uma conta numa rede social ou um número comum identificador. Este ser “humano-digital”, que se replica, multiplica e se desmultiplica na núvem tem agora a oportunidade de voltar ao básico, à sua existência humana, tirando partido, no entanto, de toda a tecnologia à sua disposição, que exponencia a sua capacidade de experimentar a vida e tudo o que o rodeia.

A gamificação

O desafio digital permitiu também ligar, de maneira única, uma Babilónia de idades, gostos e crenças em desafios cada vez mais interativos e de tempo-real, com a capacidade única de explodirem à escala mundial a uma velocidade nunca antes vista (veja-se o caso mais recente, do fenómeno Pokemon Go). A capacidade de colocar tanta gente sob um mesmo compromisso de atingir metas e objectivos é realmente assombrosa e, se na maioria dos casos, o objectivo principal é transformar este compromisso em negócio e rentabilidade, acredito que, cada vez, mais poderemos aproveitá-lo de maneira positiva e ajudar a transformar comportamentos ou hábitos.

A evolução do estilo de vida

Tem-se visto também uma evolução muito relevante na preocupação das pessoas, de qualquer idade, em encontrar um melhor estilo de vida, tendo havido uma mudança radical na maneira como se olha para a prática de desporto e na alimentação, hoje mais cuidada e muito mais saudável.

Estas mudanças nos hábitos são claramente algo de grande relevo, e têm sido alvo de estudo ao longo dos tempos. Não há mudanças imediatas, não há transformações instantâneas e é sempre necessária uma grande força de vontade, um grande compromisso pessoal para trilhar este caminho, vencer o tempo e o contratempo, de modo a poder assumir-se esta transformação, esta mudança intrínseca do que somos e em que acreditamos.

O desafio da cidadania

Coloca-se então, a cada um de nós, um novo desafio. Vencido o desafio da melhoria de um estilo pessoal de vida, apresenta-se-nos a oportunidade de, transformando-nos, criando novos hábitos pessoais, mudarmos esta entidade comum que é a comunidade que nos rodeia, em que cada um de nós, como entidade celular, recebe o chamamento de responsabilidade e participação em actividades e mudanças para um bem comum.

Este espírito de cidadania, que tantas e tantas vezes se revela em situações de crise ou alarme social, tem hoje a oportunidade de se transformar em hábito, passar a ser algo intrínseco ao nosso estilo de vida, à nossa existência comum e social.

Podemos esperar que cada célula deste corpo/comunidade se transforme por si, ganhe os hábitos necessários para garantir uma maior consciência social, ecológica e de cidadania, ou podemos, de uma maneira fácil, simples e natural, usar a tecnologia, o mundo digital, para divulgar, desafiar e premiar cada acto de cidadania para que, num futuro próximo, possamos olhar a comunidade e sentir esta mudança de uma maneira global e continuada.

Tenho a certeza que estaremos todos a caminhar para um mundo melhor, mais justo, mais participativo, mais vivo. Imaginem um mundo, um país, uma cidade, onde uma aplicação desafia cada cidadão a entrar no jogo, praticando atos de cidadania, recolhendo reconhecimento por cada um desses atos e podendo transformar esse reconhecimento em valor para partilhar novamente por outros cidadãos, motivando- os também nessa mudança.

Todos vão querer ser o melhor da sua rua, ver a sua rua ser a melhor da sua cidade ou a sua cidade como a melhor do seu país e, sob estes desafios, temos a oportunidade de potenciar cada mudança, cada participação.

Simples, não é ?



  1. A propósito desta fantástica combinação de cidadania e tecnologia, sugiro uma visita ao site Cidadania 2.0 (cidadania20 . com) onde podem ficar a conhecer mais de 100 projetos, todos em língua portuguesa, onde as ferramentas e redes sociais, bem como os dados abertos, estão a ser postos ao serviço da sociedade e da democracia.

Deixe um comentário

O seu email não será publicado

eleven + 12 =