Cisco posiciona armazenamento modular face à cloud

Os servidores modulares série S deverão permitir às empresas combinar armazenamento e capacidade computação para obter flexibilidade.

 

cisco-s3260-storage-server-100690665-large-3x2A Cisco Systems está a abrir o seu caminho no armazenamento através do seu negócio de servidores. Esta semana, o fabricante introduziu os sistemas modulares série S que podem ser implantados com muitas combinações diferentes de computação e capacidade de armazenamento.

Embora não seja a primeira incursão da Cisco no armazenamento, o UCS S3260 Storage Server oferece uma densidade e uma liberdade de configuração que se destaca em relação a outros sistemas, competindo em custo com serviços de cloud pública, diz a empresa.

O servidor foi anunciado durante a Cisco Partner Summit em São Francisco. É o primeiro produto da série S da Cisco, uma linha de sistemas projectados para servir clientes e fornecedores de cloud computing.

A Cisco diz que os servidores da série S custarão 50% menos do que alugar recursos de cloud pública, tendo em conta todos os custos ao longo do tempo. Enquanto o hardware tem um preço de compra único, os serviços de cloud têm taxas regulares que nunca terminam, argumenta.

Com o financiamento da Cisco, acrescenta, os custos iniciais podem até ser mais baixos. Mas as taxas dos serviços de cloud tanto podem subir como descer nos. E o hardware que se compra hoje, pode deixar de ser ajustado em poucos anos.

Há tantas variáveis, que é difícil saber como os gastos de uma determinada empresa se acumulam, alerta o analista da 451 Group, Steven Hill.

Ainda assim, os S-Series vêm muito armazenamento e capacidade de computação num volume muito pequeno, com vantagens de custo inerentes. O UCS S3260 Storage Server, suporta até 600TB de armazenamento num sistema de 4U (7 polegadas de altura), se estiver totalmente dedicado ao armazenamento.

Com o Spark no centro da colaboração

O lançamento na quarta-feira, da plataforma Teams, da Microsoft, rival das plataformas Slack e HipChat, mostra quão importante esse tipo de colaboração é para qualquer empresa que queira dominar nos fluxos de trabalho nos clientes. A Cisco Systems não é uma excepção.

Na sua conferência para parceiros de canal, a empresa estabeleceu um objetivo ambicioso para sua plataforma Spark. A empresa associou-lhe uma nova licença de software e procura promover a sua integração com aplicações de terceiros.

A Spark agora é a peça central do portefólio de colaboração da Cisco, que abrange chamadas de voz, videoconferência, partilha de documentos e outras capacidades. Como a Slack ou a Microsoft Teams, a plataforma de mensagens foi projectada para ser a base virtual de equipas de funcionários.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado