Fusão Dell/EMC desestabiliza parceria com a Cisco

Com a incorporação das ofertas EMC e VMware no portefólio da Dell, a Cisco não deverá disponibilizar os seus servidores nos actuais moldes da parceria mantida na VCE.

Pat Gelsinger_CEO da VMware

Pat Gelsinger, CEO da VMware

A fusão entre a Dell e a EMC pode colocar em risco a parceria de base para o negócio lucrativo em torno da VCE, diz o analista da IDC, Ashish Nadkarni.

Nesta joint-venture,  a segunda combina o seu equipamento de armazenamento, com a tecnologia de virtualização da VMware e plataformas de computação e redes, da Cisco (que detém 10% da VCE).

Com os negócios de servidores da Dell reunidos com os da EMC e da VMware, a Cisco não deverá continuar a fornecer as suas próprias máquinas de computação à parceria, prevê o observador.

A Dell tenciona ter um maior interesse financeiro na VMware, comprando mais acções deste fornecedor de tecnologia de virtualização ao longo do tempo, revelou o seu CEO,  Pat Gelsinger,  esta segunda-feira. A EMC detém já 83% das acções da VMware.

As sinergias de receitas esperadas neste aspecto da fusão podem envolver a substituição de equipamentos de rede da Dell por aqueles da Cisco Systems, parceiro de rede da VMware, para essas necessidades. Apesar de tudo, Gelsinger afirmou que a última espera continuar a trabalhar com a Cisco nas tecnologia para equipamento Vblocks e outras opções de VCI.

“À medida que avançamos para produtos de grande convergência tecnológica podemos usar mais tecnologia da Dell… mas para os produtos de rede pretendemos ficar, para já, com os da Cisco”, explicou o CEO. No mercado do armazenamento, as linhas de produtos das duas empresas complementam-se em grande parte, considera Nadkarni.

Os da EMC estão mais voltados para empresas de maior dimensão, enquanto os da Dell são mais fortes na gama baixa. Existe, no entanto, alguma sobreposição entre a oferta EqualLogic e  Compellent da Dell e o portefólio assente nas matrizes VNX e VMax, da EMC.

O acordo dá à Dell maior relevância, no segmento de protecção de dados, em que  não tem sido capaz de competir, face às propostas da EMC.

O acordo torna a compradora em interveniente mais relevante no segmento de protecção de dados, no qual não tem sido capaz de competir, face às propostas Data Domain e Avamar da EMC, recorda o analista da IDC. “A EMC vai dar à Dell o que esta aspira ser”, afirma Nadkarni.

Ainda assim, há indicações de que a Dell pode colocar a sua própria marca na operação de armazenamento conjugada. Ela já revendeu produtos da EMC mas a parceria terminou em 2011.

Os clientes sentiam-se pressionados pela prática da última em separar o software do hardware, na venda, disse Bryan Jones, vice-presidente da Dell para marketing comercial, numa entrevista recente. O equipamento da EqualLogic e da Compellent já vêm com o software incluído.

Pivotal pode passar a ser cotada

A curto prazo, a Pivotal, uma subsidiária da EMC, poderá passar a ser cotada em Bolsa, avançou o CEO da EMC, Joe Tucci. O executivo deixará o cargo quando o negócio com a Dell se concretizar, em meados do próximo ano.

“É incrível como muitas empresas têm a Dell como principal fornecedor e como muitas dessas tecnologias os nossos produtos podem substituir”, comentou.

O CEO  defende que as sinergias de receita são três vezes tão grandes quanto as de custos. “É isso que está na base desta transacção,” acrescentou.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado