Angola será “empurrada” para a cloud

Um estudo da IDC sobre o mercado angolano de TIC indica que o sector deverá crescer 15,4% em 2012. Apesar da “predisposição” da economia para adoptar o modelo de cloud computing, as telecomunicações são ainda uma barreira.

O negócio das TI em Angola constituirá um dos mercados emergentes com maior crescimento em 2012, de acordo com a IDC. A consultora estima um incremento de cerca 15,4%, de 690 milhões de euros, para perto de 796 milhões de euros no final de 2012, revela Gabriel Coimbra, director-geral da organização em Portugal.

Uma das principais conclusões do responsável é que “a necessidade de haver um salto tecnológico no país deverá ‘empurrar’ as  organizações angolanas para a adopção de modelos de cloud computing. Contudo o nível das infra-estruturas de telecomunicações será uma importante barreira nessa evolução, prevê. E além disso, as organizações estão a perceber como a oferta de serviços no mercado angolano é escassa.

O número de PC vendidos no referido mercado africano deverá crescer perto de 16,6%, de 779,5 mil em 2011 para 909,2 mil em 2012. Mas a mobilidade assume um papel ainda mais importante, dada a fraca taxa de penetração dos PC: perto de 5%. O número de assinantes de serviços de comunicações móveis deverá crescer perto de 8%, de 9,7 milhões para 10,5 milhões em 2012.

Ao mesmo tempo, a IDC estima que o número de utilizadores da Internet deverá ultrapassar os 2,7 milhões, crescendo quase 30%. E as redes sociais começam a ter “níveis de utilização relevantes em Angola”. Isso levará as principais marcas de consumo a desenvolverem estratégias para esse meio.

Num plano mais amplo, a despesa de TI nos mercados emergentes vai crescer 13,8%, representando mais de 53% do crescimento da indústria das TIC em 2012. Os mesmos deverão representar em 2012 cerca de 28% da despesa global em TI.

Leave a Reply

Your email address will not be published.