Mobilidade suportada apenas por 35% das empresas portuguesas

Dados do INE revelam que a maioria das empresas portuguesas ainda não apoia o acesso móvel a informação para os seus empregados. A utilização de aplicações de ERP em mobilidade é suportada por menos de metade.

Apenas 35% das empresas portuguesas dá suporte com equipamento portátil ao acesso em mobilidade dos seus colaboradores a informação –  de acordo com a edição de 2012 do Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas, do Instituto Nacional de Estatística (INE). A utilização do acesso móvel para aplicações de negócio ERP é suportada por 42.2% das empresas no universo estudado: foram inquiridas 3013 organizações com 10 ou mais empregados.

Contudo, 57% já permite a alteração de documentos associados à actividade da empresa. O acesso a informação pública na Internet é a segunda facilidade mais concedida – por 93% das empresas. A mais dominante é ao acesso ao e-mail das organização, suportado por 97% das respondentes, das empresas (51%) dispõem também de ligação móvel, “sobretudo em banda larga”, além de terem ligação fixa à Internet.

A partir de dados relativos a 2011, o estudo revela que apenas 23,6% das empresas realizaram comércio electrónico nesse ano. Mesmo tendo em conta a possibilidade de as organizações realizarem operações através de outras redes electrónicas sem ser a Internet.

Abaixo desse valor está a utilização do e-commerce no segmento das pequenas empresas (com 10 a 49 empregados) – apenas 21,3% o fazem. O Governo revelou o mês passado a intenção de promover – através de uma iniciativa específica – uma maior adesão deste tipo de organizações referida forma de negócio.

Perto de 17% das empresas efectuaram encomendas de bens ou serviços e 14% receberam encomendas pela mesma via, diz o comunicadodo INE.
Não obstante o inquérito revela que cerca de 47% das pequenas empresas tem presença na Internet.Em termos globais, 52% já alimentam essa visibilidade, mas há ainda 24% das médias, e 4% dias grandes que não o faz.

A utilização da Internet para interagir com entidades públicas situa-se acima dos 95% para todas as actividades económicas, com excepção do “ Alojamento, restauração e similares” ( 77,8%) da “Construção” (92,4%) e das “Indústrias transformadoras” (94,1%). Para as empresas que interagiram com entidades públicas, a maior parte (87%) tem como propósito preencher e enviar formulários/impressos online.

Leave a Reply

Your email address will not be published.